quarta-feira, 25 de abril de 2012

O Cuidado com o que se Escreve na Rede

Uma Dica: A Internet pode acabar sendo um reflexo para você no mundo real. O que você escreve pode ser levado ao pé da letra por quem lê. Então antes de fazer qualquer comentário sobre determinada pessoa imagina-se você diante desta pessoa. Teria coragem de dizer cara a cara o que escreve sobre ela? Ao ofender, denegrir, etc é você quem escreve e não a máquina. Então por isto temos que medir nossas palavras, pensar antes, pra depois soltar nossas ideias na rede.

FBI deixará fora do ar 350 mil computadores infectados por malware

A internet deixará de funcionar para mais de 350 mil pessoas desavisadas de que estão infectadas com o malware DNSChanger. A ação da polícia federal americana inclui um teste para que as pessoas verifiquem se estão com seus equipamentos infectados com resquícios de do vírus, que foi fruto de uma fraude cometida por um grupo de malfeitores da web — que conseguiu atingir mais de 4,2 milhões de computadores.
Em novembro do ano passado, o FBI realizou uma operação semelhante, chamada “Operation Ghost Click”, na qual seis estonianos foram presos por participar de uma quadrilha de crimes online. O malware usado pelo bando, o DNSChanger, conseguiu abocanhar mais de US$ 14 milhões (pouco mais de R$ 26 milhões, na cotação de hoje) em receita ilícita.

De acordo com o site Digital Trends, o malware em questão funciona da seguinte maneira: quando você clica em um link ou digita o endereço de um site no seu navegador, o computador envia a informação para um servidor DNS, que reenvia o pedido no formato de um endereço de IP correspondente, para que a página que você quer acessar possa ser encontrada.
Fonte: Circuito Mato Grosso

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Afinal, o que é 4G?

De todos os termos tecnológicos confusos usados no marketing atual, talvez o mais opaco seja o "4G", empregado para descrever uma geração nova e muito mais veloz de comunicação de dados de celulares, tablets e outros aparelhos. Parece simples, mas há muitas variedades de 4G e informações conflitantes.

É uma dor de cabeça para os consumidores entenderem. Então, aqui vão as respostas simplificadas para algumas das dúvidas mais comuns, com base em entrevistas com os principais executivos de tecnologia das maiores telefônicas americanas.

O que é 4G?

É a quarta e mais recente geração de comunicação de dados por redes de telefonia celular. É mais rápida e dá mais capacidade às redes que a tecnologia 3G, ainda usada pela maioria dos aparelhos. Há uma definição técnica, determinada pela agência da ONU na Europa, e uma definição de marketing, que é mais flexível, mas de relevância maior para a maioria dos consumidores.

Quem precisa de 4G?

Principalmente pessoas com smartphones, tablets e notebooks que precisam acessar dados rapidamente para navegar na web, usar aplicativos e e-mail quando estiverem fora do alance de uma rede Wi-Fi. Uma rede 4G pode lhe dar, quando você está num táxi, por exemplo, uma velocidade de acesso igual ou maior que a de uma rede Wi-Fi na sua casa ou escritório. A rede 4G é geralmente mais rápida que as redes abertas de Wi-Fi de hotéis e aeroportos.

Qual é a diferença entre 4G e outro termo sendo anunciado, o "LTE"?

O LTE, que significa "Long Term Evolution" (evolução de longo prazo, em inglês), é a variedade mais rápida e consistente da tecnologia 4G, e a que os técnicos consideram mais próxima do padrão técnico determinado pela ONU.

Qual é a velocidade da 4G?

As alegações variam e o desempenho depende do tipo do aparelho, local e momento do dia. Em meus testes, celulares, tablets e modems portáteis para notebooks com 4G geralmente apresentaram uma velocidade de 3 a 20 vezes maior para baixar dados que os aparelhos com 3G. O LTE é o rei da velocidade. Os aparelhos com LTE que usei baixaram arquivos a uma velocidade média de 10 a 20 megabits por segundo, e muitas vezes passaram de 30 megabits por segundo. Os outros formatos da 4G geralmente tiveram velocidades bem abaixo de 10 mbps em meus testes. Mas todos foram melhores que os aparelhos com 3G, que, em meus testes em todas as redes e muitos aparelhos, baixaram dados a uma velocidade média menor que 2 mbps.

Qual é a diferença do LTE para a velocidade comum da internet em casa?

Embora seja sem fio, o LTE geralmente é mais rápido que a maioria dos serviços domésticos de internet a cabo. Segundo a Akamai, uma empresa de internet de grande porte, a velocidade média da banda larga nos Estados Unidos, no terceiro trimestre de 2011, foi de meros 6,1 mbps.

Qual é a diferença entre o LTE e o Wi-Fi?

O Wi-Fi geralmente é um meio de acessar sem fio um serviço de internet a cabo. Então, se a velocidade média da banda larga americana é 6,1 mbps, essa é a velocidade do Wi-Fi. Mas, em áreas públicas, o Wi-Fi compartilhado é quase sempre muito, muito mais lento que o LTE. Nos testes que fiz recentemente no aeroporto Dulles, de Washington, e num hotel nas cercanias de Boston, a rede aberta de Wi-Fi forneceu bem menos de 1 mbps no novo iPad. Mas a rede do LTE para celular permitiu ao iPad chegar a uma média de 32 mbps nos dois lugares.

Fonte: http://online.wsj.com/article/SB10001424052702303816504577321693073827350.html