sábado, 31 de dezembro de 2011

Teclado Flex Multimídia - TC00008ML

Teclas macias que proporcionam mais conforto que as convencionais. Tem um belo design que conta com luminosidade própria.

INFORMAÇÕES DO PRODUTO

Teclado Flexível! Possui teclas macias, silenciosas e que proporcionam mais conforto que os teclados convencionais.

Portátil, ótimo para notebooks. É à prova d’água (lavável) e compatível com a maioria dos computadores. É só ligar na porta USB e utilizar.

Seu design ainda conta com luminosidade própria.



ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

  • Compatibilidade: IBM Win 98/2000/Me/XP/Vista
  • Comunicação: USB, PS/2, USB + PS/2
  • Layout: 79 teclas
  • Resistência à água
  • Á prova de ácido e alcalino
  • Alta resistência à poeira
  • Conveniência de transporte
  • Material feito de silicone de alta qualidade
  • Disponível na cor rosa e azul

ITENS INCLUSOS

Será criado computador de algodão

Um grupo de especialistas em nanotecnologias de Itália, de França e dos Estados Unidos reuniram-se para criar uma geração completamente nova de computadores em forma de roupa. Inventaram uma maneira de converter o tecido de algodão em transistores e em circuitos. Se tiver sucesso, o conceito no futuro próximo permitirá começar a produção em massa de T-shirts-computadores.


Leia mais: http://portuguese.ruvr.ru/2011/12/30/63204260.html

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Computador de US$ 25 chega ao mercado em janeiro

A Raspberry Pi Foundation anunciou um modelo de computador que custa apenas US$ 25, ou seja, aproximadamente R$ 48. Carregando o mesmo nome da empresa que o criou, a máquina é do tamanho de um pendrive e tem lançamento marcado para janeiro de 2012. O objetivo do PC, segundo o fabricante, é estimular a compra por escolas para auxiliar na inclusão digital dos pequenos.

Todos os componentes do Raspberry Pi estão contidos em uma única placa, que não conta com peças móveis. A máquina conta com um cartão SD para armazenamento de dados, uma porta USB e uma saída HDMI. As configurações são as seguintes...

Fonte: TecMundo

TVs brasileiras deverão vir com ferramenta de interatividade a partir de 2012

A partir do ano que vem, a maioria dos aparelhos de televisão fabricados na Zona Franca de Manaus deverá estar equipada com o Ginga, uma ferramenta que permite a interatividade na TV digital brasileira. O programa, que é um software livre nacional, permite que o telespectador consulte informações sobre a programação, faça compras e acesse dados bancários pela televisão.

A consulta pública sobre as mudanças no Processo Produtivo Básico (PPB), encerrada em outubro, prevê que pelo menos 75% dos televisores com tela de cristal líquido devem vir com o Ginga a partir de 2012. A partir de 2013, todos os aparelhos terão que trazer o software. As contribuições ainda estão sendo analisadas pela área técnica do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, e a publicação está prevista para o início do próximo ano.

Quem comprar os televisores com o Ginga poderá pagar até R$ 80 mais, segundo o secretário de Serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, Genildo Lins. Mas ele acredita que o valor poderá ser absorvido pelas empresas. Até o fim do ano, o ministério deverá ter autorizado a transmissão do sinal digital para todas as 400 geradoras do país, que são responsáveis pela produção de conteúdo. A previsão é que até 2016 todos os canais com sinal analógico já tenham sido digitalizados.


Leia mais: www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2011/12/29/tvs-brasileiras-deverao-vir-com-ferramenta-de-interatividade-a-partir-de-2012/


Fonte: Jornal do Brasil

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

5 Previsões sobre Linux para 2012

Nessa época de fim de ano, muitos param para fazer uma retrospectiva, ver os erros e acertos, para depois visualizar o que esperar do ano que irá começar. Foi o que fez Jay Lyman, analista sênior da 451 Research e integrante da equipe do site LinuxInsider. Em uma análise pessoal, ele fala sobre como o Linux cresceu, ganhou credibilidade e se tornou um forte concorrente nos mercados de computação em nuvem, Serviço (PaaS), mobilidade (Android) e na indústria automobilística - porém, ainda não cresceu no desktop -, e faz cinco previsões para 2012.

O Android contra-ataca e cresce

Na opinião de Lyman, os processos de patentes não travarão o crescimento do Android no próximo ano,. Até porque, alguns processos tornaram-se embaraçosos para os acusadores. Uma confirmação dessa previsão está no fato do Android ter tido um grande crescimento na quantidade de desenvolvedores, dispositivos, aplicativos, alcance de mercado e popularidade em 2011.


Fonte: Tech Tudo

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Número de brasileiros com acesso à internet cresce 17%

O número de pessoas com acesso à internet em casa ou no local de trabalho chegou a 63,5 milhões segundo uma pesquisa divulgada pelo IBOPE Nielsen Online. Um crescimento de 17% em relação ao mesmo período do ano passado.  O total de pessoas com acesso a rede mundial de computadores em casa também cresceu. Segundo a pesquisa, 60 milhões de brasileiros moram em residências onde existe pelo menos um computador com internet.


Leia mais: www.midiamax.com/noticias/780964-numero+brasileiros+com+acesso+internet+cresce+17.html


Fonte: MidiaMax

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Dicas criação de sites

  • Informações principais na coluna da direita;
  • cores neutras;
  • colocar opção "leia mais";
  • dar atenção para os títulos das páginas;
  • colocar descrição em cada página;
  • palavras chaves, tags (melhor resultado no Gogle);
  • uma página "quem somos";
Créditos: Léo Gomes

    Sony divulga protótipo de computador flexível que se transforma em pulseira

    Esqueça tudo o que você já viu quando o assunto são aparelhos inteligentes, como TVs ou smartphones. Uma tecnologia muito comentada este ano e que promete chegar ao mercado consumidor em 2012 são os dispositivos OLED.

    Para quem não sabe, são telas ultrafinas - com menos de 1 cm de espessura -, com alto poder de resolução, baixo consumo de energia, e o mais inovador: podem ser totalmente flexíveis.


    Se você costuma acessar o Olhar Digital, já deve ter visto os principais conceitos futurísticos desse mercado. A Samsung, por exemplo, divulgou recentemente...

    [Leia mais: http://olhardigital.uol.com.br/produtos/digital_news/noticias/sony-deve-lancar-em-2020-computador-flexivel-que-se-transforma-em-pulseira]

    Fonte: Olhar Digital

    segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

    Crise do chip: pesquisadores buscam sucessor do silício

    Num bagunçado laboratório de produção de chips no campus de Stanford, Max Shulaker está produzindo à mão os menores circuitos de computador do mundo. Shulaker, estudante de engenharia elétrica, está ajudando a abrir o caminho de um extraordinário processo de manufatura personalizado: fazer protótipos de um novo tipo de circuito semicondutor que um dia pode vir a ser a base dos supercomputadores mais rápidos do mundo - sem mencionar os menores e mais econômicos eletrônicos.

    Se a nova tecnologia se mostrar factível, vai impedir uma crise que ameaça deter mais de cinco décadas de progresso dos fabricantes de chips, que agora podem produzir rotineiramente circuitos menores do que um comprimento de onda de luz para criar computadores ainda mais poderosos. Acontece que até as ondas de luz têm limites. Numa indústria famosa por invenções radicais e engenhosas, os projetistas têm a urgência premente de achar novas formas para fazer circuitos menores, mais velozes e baratos.

    Neste ano a Intel, a maior fabricante mundial de chips, apresentou o transistor 3D que empurra um pilar fino da superfície do silício, num esforço para acomodar bilhões de chaves minúsculas num único microprocessador. Essa abordagem é controversa; o desafio não é apenas espremer mais chaves, mas fazê-las ligar e desligar de forma rápida e limpa, e muita gente do setor acredita haver meios menos drásticos de conseguir isso.

    [Continue lendo...]

    Fonte: Terra Tecnologia

    sábado, 10 de dezembro de 2011

    Como ver quais sites o seu computador acessa secretamente

    Internet lenta pode ser sinal de malware usando sua conexão escondido. Veja como detectar o problema.

    Dos computadores que você tem em casa, quantos deles estão conectados na internet? Praticamente todas as máquinas que saíram das lojas nos dois últimos anos, seja notebook ou PC, estão ligadas à rede mundial de computadores, o que faz com elas se tornem alvo de usuários mal-intencionados.

    Existem diversos programas que ajudam a proteger sua máquina dessas pragas, mas nem sempre eles são suficientes para impedir que elas invadam o computador. Outro problema bem comum é que os aplicativos de proteção não conseguem detectar 100% dos invasores que batem à porta do usuário.

    Um tipo bem comum de spyware é aquele que não tem a intenção de roubar dados, mas sim de utilizar o computador como zumbi, utilizando a sua conexão com a internet para hackear sites e serviços disponíveis na rede. Mas existe uma forma de monitorar a sua conexão com a internet e ver todo e qualquer site ou endereço de IP que é acessado por meio do seu roteador.


    Fonte: TecMundo

    terça-feira, 6 de dezembro de 2011

    Intel e IBM relevam futuro de chips de computador

    A IBM e a Intel revelaram nesta semana o futuro dos chips de computador. Um documento vazado da Intel mostrou que a empresa está se preparando para a próxima geração de processadores, que se chamará Ivy Bridge. Enquanto isso, a IBM divulgou sua visão de processamento de tecnologia, mostrando que o silicone ficará obsoleto e o que virá depois. 

    De acordo com documentos obtidos pelo X-Bit Labs, os chips Ivy Bridge chegam a PCs e Macs no segundo trimestre de 2012. Eles significam máquinas com cerca de 4GHz de poder de processamento. Apesar de os chips Ivy Bridge utilizarem uma tecnologia novel conhecida como Tri-Gate, eles ainda são baseados no silício.

    Enquanto isso, a IBM mostrou seu plano a longo prazo, segundo o Wall Street Journal, que vai além do silício. A companhia está apostando em três tecnologias: nanotubos de carbono, grafeno e algo chamado “racetrack memory”.


    Fonte: Imaster

    domingo, 4 de dezembro de 2011

    Políticos usam internet, mas não interagem com eleitor

    Deputados e senadores não sabem interagir e atrair eleitores pela internet e redes sociais em plena era digital. Esta é a principal conclusão da pesquisa feita pela agência de comunicação Medialogue. Os três representantes do Grande ABC no Congresso, José de Filippi Júnior (PT-Diadema), Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT-São Bernardo), e William Dib (PSDB-São Bernardo), usam ferramentas digitais, mas estão na média dos demais políticos brasileiros, que subutilizam os instrumentos virtuais. 

    O estudo da empresa foi feito entre os dias 27 de junho e 9 de setembro - portanto, Vanderlei Siraque (PT), que assumiu cadeira na Câmara Federal no início de novembro, não foi enquadrado. Foram levantadas 70 mil informações relacionadas ao perfil digital de todos os 513 deputados federais e de 81 senadores. 

    A análise destaca que internet e as redes sociais são aproveitadas pelos políticos, na maioria dos casos, como se estivessem distribuindo santinhos e folhetos, para dizer o que lhes interessa, sem se preocupar com a opinião do eleitor. "Apesar de muitos terem sites e contas no Facebook e Twitter, ainda utilizam seus recursos como se estivessem na era do papel", diz o coordenador da pesquisa, Alexandre Sicco. 

    O estudo ainda não expõe ranking geral dos ‘políticos 2.0', como são classificados pela agência. Há apenas apresentação dos melhores em cada categoria. No cômpito geral, cerca de 100 deputados - ou seja, um em cada cinco - sequer mantém site. A pesquisa encontrou situação parecida no Twitter, um dos canais sociais preferidos dos parlamentares. Um em cada três políticos mantém suas contas desatualizadas...


    Fonte: Diário do Grande ABC

    sábado, 3 de dezembro de 2011

    Seis dos 1934 provedores do País concentram 78% das conexões à Internet

    Pesquisa do NIC.br desnuda desigualdades na oferta de acesso fixo no Brasil. Dos 17 milhões de conexões, 21% são de 256 Kbps e 64% até 2Mbps. Só 34% da classe C tem acesso.

    Divulgada nesta quarta-feira, 30/11, pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC,br), a primeira pesquisa TIC Provedores, realizada pelo Cetic.br, é um retrato sem retoques das desigualdades na oferta de acesso fixo à Internet no Brasil. Realizada em parceria com associações de classe como a Abranet, Abramulti Global Info, entre outras, Anatel, Teleco e Ibope, a pesquisa identificou 1934 provedores de acesso atuantes em 5260 dos 5565 municípios do país, responsáveis por 17 milhões de conexões em domicílios e empresas. "Cerca de 400 provedores a mais que os registrados na Anatel, como SCM e AS", afirma Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br.
    Desses 1934 provedores, apenas 6 concentram 78% das ofertas de conexão: Telefonica,Oi, Net, Embratel, GVT e CTBC. A atuação dos provedores também é geograficamente concentrada. Apenas 20 deles (1%) atuam em todas as regiões do país; 95% em apenas uma região; 43% apenas na região Sudeste e 11% na Região Centro-Oeste e 6% na região Norte. Nas regiões metropolitanas, onde a disponibilidade de acesso é maior, apenas 27% dos domicílios, 69% das empresas com até 9 funcionários e 70% das escolas, têm conexão. "O que transforma o acesso domiciliar, nas microempresas e nas escolas em grandes desafios a serem enfrentados pelo órgão regulador", pondera Barbosa.


    Maioria das conexões ofertadas: até 1Mbps, via ADSL e Radio

    Quanto à velocidade de conexão, o tipo mais comum de conexão ofertada é de até 512Kbps (89%) e entre 512Kbps e 2Mbps (81%). Só 48% dos provedores oferecem conexões acima de 2Mbps, em sua maioria consumida pelas classes A e B. "A classe A tem índices de acesso comparáveis aos dos países europeus e asiáticos. Os índices de acesso da classe B estão na média mundial. Já os das classes C, estão muito abaixo até dos índices de países vizinhos ao Brasil, como Chile e Argentina", explica Barbosa.

    A primeira pesquisa TIC Provedores revela ainda que, entre os seis grandes provedores de acesso, grande parte das conexões ofertadas fazem uso de tecnologia ADSL (67%) e de fibra óptica (também 67%). Já entre os 1928 pequenos provedores, são mais comuns as ofertas de conexão via rádio (67%, em sua maioria WiMax ou MMDS) e wireless (25%). Apenas 9% dos pequenos provedores oferecem conexões por fibra óptica e 6% por ADSL.
    Comparado ao uso efetivo, entre os grandes provedores, embora 67% deles ofertem acesso via fibra, ele só é realmente usado por 3% dos clientes. A maioria dos acessos continua sendo via ADSL (69%) e cabo (22%). Já entre os pequenos, há melhor distribuição entre os acessos via rádio (31%), cabo (26%) e ADSL (15%)...

    [Continue lendo...]

    Fonte: IDG NOW

    sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

    Por um Brasil conectado

    Encontro em Vitória (ES) traça caminhos e discute estratégias para a democratização do acesso aos às tecnologias de Informação e Comunicação no Brasil

    O evento pode ser definido como um grande encontro. Um encontro de gentes de todas as classes sociais, lugares, pensamentos. Em comum, a paixão e o esforço em levar para todos os cantos do Brasil o acesso às tecnologias da Informação. Assim é a Oficina para Inclusão Digital (OID), que acontece de 5 a 7 de dezembro, em Vitória (ES).


    Este ano a Oficina chega à sua décima edição e terá a participação de vários representantes de projetos de inclusão digital da sociedade civil, monitores de telecentros, profissionais, gestores públicos e estudiosos do tema, e ainda a representação de dezenas de ministérios, de governos estaduais e municipais, empresas públicas e instituições de ensino. O Governo do Estado do Ceará participa apresentando o Programa Cinturão Digital.


    “Nosso objetivo é reunir pessoas de todo o País. Por isso é que cada ano ele é realizado numa região diferente, para que todos possam ter acesso ao encontro”, afirma a diretora do Departamento de Articulação e Formação da Secretaria de Inclusão Digital do Ministérios das Comunicações, Cristina Mori, em entrevista ao O POVO (leia Bate-pronto nesta página)...

    [Leia mais...]

    quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

    Mapa aponta qualidade da internet no Brasil

    Mais de 600 mil pessoas contribuíram para formular o panorama da qualidade da conexão brasileira

    São Paulo - O CGI (Comitê Gestor de Internet no Brasil) construiu um mapa com dados do Simet (Sistema de Medição de Tráfego de Última Milha) que mostra um raio-x da qualidade da internet no Brasil.

    Mais de 600 mil pessoas contribuíram para formular o panorama da qualidade da conexão brasileira. O usuário informa o CEP de onde realiza o teste e o resultado vai para o mapa. Os pontinhos vermelhos indicam conexões ruins e os verdes, as boas.

    O Simet é responsável pela medição da velocidade, atrasos e informa ao provedor contratado a qualidade do serviço quando tiver dados suficientes. Desta forma, ele pode atuar para melhoria da rede.
    As cidades menores do interior do país possuem as piores velocidades. Já as capitais e cidades de maior porte da região sudeste contam com as melhores.

    Segundo o NIC.br, 80% das conexões são provenientes de seis grandes provedores. Os outros 20% vêm de 1.928 provedores. Destes, 43% atuam no sudeste do Brasil.

    Para ver mais detalhes, confira o mapa completo.

    Para fazer a medição da sua conexão, acesse aqui.

    Fonte: exame.com
    (http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/mapa-aponta-qualidade-da-internet-no-brasil)