quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Lançamento Firefox 6

Lançamento Firefox 6. Em uma galáxia muito distante, havia uma guerra entre dois navegadores. Um era o Explorer da Microsoft. Pesado, pretensioso, lento e defasado tecnologicamente. Empurrado para o usuário médio devido as restrições de instalação no Windows (que embarcavam somente o Explorer no pacote Windows) e o pouco traquejo do grande público as outras possibilidades.

No outro lado, havia o Firefox. Rápido, simples e tecnologicamente superior. E com uma filosofia bem bacana por trás: a Mozilla, fundação sem fins lucrativos que desenvolve o Firefox, prega que o software aberto e o livre desenvolvimentode extensões pelos usuários é o caminho para o sucesso. Programas opostos, e que definiram toda uma época da computação e da internet.

sábado, 13 de agosto de 2011

Câmara Federal debaterá qualidade da telefonia celular e da internet 3G


A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara Federal vai realizar na próxima quarta-feira (17), às 10h, uma audiência pública sobre a qualidade da telefonia celular e da internet móvel no País.
A audiência foi sugerida pelo deputado Hugo Motta (PMDB-PB). Segundo ele, o serviço de telefonia celular vem crescendo em ritmo acelerado no Brasil, mas esse crescimento não tem sido acompanhado de uma melhoria na qualidade do serviço. “Ao contrário, constata-se uma progressiva perda de qualidade na prestação do serviço de telefonia no Brasil”, destaca.
De acordo com o deputado, os principais problemas são a queda nas ligações e a baixa qualidade do sinal. Os problemas seriam agravados em regiões afastadas e remotas. Conforme dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Brasil tem hoje mais 217 milhões de celulares, o que representa uma densidade de 1,11 celulares por habitante.
Reportagem completa: http://diariodonordeste.globo.com/noticia.asp?codigo=324809&modulo=963

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Tatuagem eletrônica promete revolucionar medicina, jogos e segurança


WASHINGTON — Um adesivo eletrônico da espessura de um fio de cabelo, que adere na pele como uma tatuagem temporária, poderá revolucionar procedimentos médicos, videogames e operações de espionagem, revelou um estudo publicado esta quinta-feira na revista Science.

A tecnologia de microeletrônica, denominada sistema eletrônico epidérmico (EES, na sigla em inglês), foi desenvolvida por uma equipe internacional de cientistas de Estados Unidos, China e Cingapura.
"Trata-se de uma tecnologia que reduzirá o abismo entre eletrônica e biologia", disse o co-autor do estudo, John Rogers, professor de ciência de materiais e engenharia da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign.

"Nosso objetivo era desenvolver uma tecnologia eletrônica que pudesse se integrar à pele de uma forma que ficasse invisível mecânica e fisiologicamente para o usuário", acrescentou.

O adesivo poderá substituir os eletrodos usados para monitorar a atividade do cérebro, do coração e do tecido muscular e, quando colocado na garganta, permitiu aos usuários operar um video game acionado por voz com precisão superior a 90%.

"Este tipo de dispositivo poderá ser útil para aqueles que sofrem de algumas doenças de laringe", explicou. "Também poderá servir de base para a capacidade de comunicação subvocal, adequada para situações de camuflagem ou outros usos", acrescentou.

O dispositivo sem fio quase não tem peso e exige tão pouca energia para funcionar que pode se reabastecer sozinho usando coletores solares miniaturizados ou capturando radiação eletromagnética dispersa ou transmitida, acrescentou o estudo.

Com espessura inferior a 50 microns, um pouco mais fino do que o cabelo humano, o equipamento pode aderir à pele sem a necessidade de uso de cola.

"Forças denominadas 'van der Waals' dominam a aderência ao nível molecular, portanto as tatuagens eletrônicas aderem à pele sem qualquer cola e fica no lugar por horas", destacou o estudo.
O engenheiro Yonggang Huang, da Northwestern University, afirmou que o adesivo é "tão macio quanto a pele humana".

Rogers e Huang trabalharam juntos nesta tecnologia durante seis anos. Os dispositivos poderão ser usados no futuro em pacientes com apneia noturna, bebês que precisam de cuidado neonatal e para produzir bandagens eletrônicas para ajudar a pele a cicatrizar queimaduras e ferimentos.

Fonte: http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5jZLptNYH91MPj-fPcQ89PRW3LXdg?docId=CNG.37148fe0bc02875dfcd2663384771f38.111

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Seis formas para reaproveitar um notebook antigo

Alguns upgrades rápidos de hardware e software podem trazer um velho portátil de volta à vida. Veja como.


Você tem em casa um velho notebook que está encostado porque não dá mais conta do dia-a-dia? Com alguns upgrades rápidos de hardware e software você pode trazê-lo de volta à vida, e quem sabe evitar gastar mais dinheiro com uma máquina nova.
Não esqueça o backup!
Não custa lembrar: antes que fazer qualquer mudança em seu notebook, seja de hardware ou software, faça um backup de todos os arquivos importantes (especialmente os insubstituíveis, como fotos e vídeos das férias, e-mails antigos e documentos) em um HD externo. 
Hardware: três upgrades fáceis
Instale mais memória: a forma mais fácil, rápida e barata de aumentar o desempenho de qualquer PC é adicionar mais memória. Se seu notebook tem apenas 512 MB de RAM, por exemplo, um upgrade para 1 GB pode deixá-lo até 30% mais rápido.
Memória é barata (um pente de 1 GB para notebooks custa cerca de R$ 50) e essencial para rodar sistemas operacionais mais novos como o Windows 7, portanto recomendo que você instale o máximo que sua máquina suportar. Use o Configurador de Memória no site da Kingston para descobrir qual o limite de seu notebook, e que tipo de memória usar.


Troque o HD: um novo HD não vai lhe dar apenas mais espaço em disco, mas também pode melhorar o desempenho do computador. Discos mais antigos costumam funcionar a 4.200 RPM, velocidade considerada baixa hoje em dia. Um disco de 5.400 ou 7.200 RPM vai tornar o acesso às informações mais rápido, e produzir uma diferença notável na inicialização, cópia de arquivos e uso geral.
Assim como a RAM, instale o HD com a maior capacidade que você puder encontrar. Mas antes de comprar, verifique qual o tipo de HD seu notebook usa: dê uma olhada no próprio disco, anote a marca e o número do modelo e confira as especificações no site do fabricante. Notebooks geralmente usam HDs de 2.5 polegadas (popularmente conhecidos como “HD de Notebook), mas a interface pode variar: máquinas produzidas antes de 2006 provavelmente usam discos com interface IDE, enquanto as mais recentes usam discos SATA.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Anatel estabelece novas regras para garantir qualidade de internet fixa

Agência aprovou medidas que devem ser regulamentadas em outubro. Operadores deverão garantir, em média, 60% da velocidade contratada


A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou ontem (4/8) regras para garantir mais qualidade nos serviços de internet fixa oferecidos pelas operadoras de telecom. As propostas serão colocadas em consulta pública por 30 dias antes de serem regulamentadas no final de outubro.

De acordo com a Agência Brasil, o Regulamento da Gestão da Qualidade do Serviço de Comunicação Multimídia determina que empresas com mais de 50 mil assinantes deverão entregar pelo menos 60% da velocidade contratada aos consumidores em uma média mensal. A velocidade instantânea medida não pode ser menor do que 20% do contratado em 95% das medições. Esses números vão aumentando gradualmente até chegar a uma média mensal de 80% da velocidade contratada.

A avaliação da qualidade percebida pelos assinantes deverá ser feita por empresas contratadas pelas telecom. A Anatel também fará medições paralelas para verificar se os índices estão sendo atendidos.Outra regulamentação estabelece que o número de reclamações mensais recebidas pelas operadoras não pode superar 2% do total de acessos ao serviço. As solicitações de instalação devem ser atendidas em até três dias úteis, e as de reparos em até 24 horas.

Já o Regulamento do Serviço de Comunicação Multimídia recebeu uma atualização. Ela determina que provedores não podem fazer bloqueio ou tratamento discriminatório do tráfego de dados, apenas em casos de segurança e estabilidade da rede.