quarta-feira, 29 de junho de 2011

Google lança novo projeto de rede social

O Google anunciou nesta terça-feira (28) um novo projeto de rede social, o Google+, que inicialmente oferece cinco recursos principais: Circles, Hangouts, Instant Upload, Sparks e Huddle.

Circles é uma função que permite dividir seus contatos em diferentes grupos --por exemplo, parentes, colegas de trabalho, companheiros de time-- e compartilhar conteúdo diferente com cada um deles.

A ferramenta Sparks recolhe conteúdo variado pela internet e faz uma seleção personalizada para você, baseada nos assuntos que o interessam.

Hangouts é, basicamente, um recurso de videoconferência. Com ele, você pode, por exemplo, organizar uma reunião virtual com vídeo e deixá-la aberta à entrada de outros conhecidos, ou ainda entrar em uma conferência já aberta por um amigo. Cada reunião pode ter até dez pessoas.

Com o Instant Upload, fotos tiradas com um celular podem ser automaticamente armazenadas em um álbum on-line e compartilhadas com as pessoas que você selecionar.

domingo, 26 de junho de 2011

Gerenciador de pacotes Synaptic sai de cena no Ubuntu 11.10

O Synaptic, originalmente desenvolvido na época da distribuição brasileira Conectiva (pelas mãos do Alfredo Kojima e do Gustavo Niemeyer) já não está mais presente nas últimas versões de desenvolvimento do Ubuntu 11.10, a ser lançado em outubro.
Sua substituição pela Central de Programas do Ubuntu já era aguardada, pois boa parte das funcionalidades se sobrepõem. Mas os fãs do Synaptic que desejam continuar a utilizá-lo não têm razão para se preocupar, pois ele continuará disponível para instalação pelo usuário – via Central de Programas, inclusive.

sábado, 25 de junho de 2011

Entenda os ataques de hackers contra sites do governo brasileiro

A atividade de hackers no Brasil, assim como no exterior, se intensificou a partir do fim da década de 1990, mas foi na madrugada da última quarta-feira que começou a onda de ataques que já é a maior da história do país, segundo Karin Breitman, professora do Departamento de Informática da PUC-Rio.
Levantamento do site Zone-H, que concentra registros de sites desfigurados (quando o ataque modifica a página de abertura do portal), mostra que o número desses ataques a sites governamentais brasileiros é alto: apenas neste ano, foram 714. Porém, “até agora, nenhum grande incidente havia chegado à mídia”, diz Breitman.
Ela acredita que a atividade de hackers tenha se intensificado por influência do fundador do Wikileaks, Julian Assange, que se tornou célebre por obter informações confidenciais de governos e levá-las a público.
“No Brasil, temos um ambiente muito seguro na internet. Há poucos casos de roubo de cartão de crédito ou de informações privadas em ataques como estes. Mas agora, com os últimos incidentes e as ações do Wikileaks, as pessoas começaram a olhar para os governos”, diz.
A seguir, algumas perguntas e respostas à ação dos hackers no país.
O que os hackers já conseguiram fazer?
Desde quarta-feira, eles atacaram os sites da Presidência da República, do Portal Brasil, da Receita Federal, da Petrobras, do Ministério do Esporte e, nesta sexta-feira, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Ministério da Cultura.
Com as tentativas de invasão, os sites apresentaram dificuldades de navegação, saíram do ar ou foram desfigurados, caso do portal do IBGE. Na página do instituto foi publicada a imagem de um olho contendo a bandeira do Brasil, com os dizeres “IBGE Hackeado – Fail Shell”. O site ficou fora do ar durante doze horas até ser restabelecido pelo órgão, que afirmou, por meio de nota, que nenhuma informação foi acessada.

Leia mais: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/06/110625_qa_hacker_jc.shtml

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Brasileiro é o que mais vê vídeos na web


Os usuários brasileiros são aqueles que mais assistem a vídeos e televisão na web, aponta uma pesquisa da Accenture com 6,5 mil internautas, em sete países.
O estudo, que procurou avaliar os hábitos dos consumidores na Austrália, Brasil, Alemanha, Itália, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos, todos com idade a cima dos 18 anos, descobriu que no Brasil 89% das pessoas acessam aplicações de vídeo na internet, contra 80% de norte-americanos e 75% de britânicos.
Segundo o levantamento, 82% dos internautas daqui têm preferência por assistir a vídeos pelo computador, à frente dos usuários dos Estados Unidos, que respondem por 70% na pesquisa.
Embora a televisão domine a preferência dos consumidores - 92% no mundo e 90% no Brasil, segundo a Accenture, verificou-se que os produtos eletrônicos utilizados para assistir ao conteúdo são bem diversificados: 72% usam o notebook, 63% adotam o celulares como opção e 21% acessam vídeos pelos tablets, produtos relativamente novos no mercado.
Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/internet/brasileiro-e-o-que-mais-ve-videos-na-web-23062011-5.shl

Placa-mãe ASUS Crosshair V Formula

Até o momento a ASUS lançou duas placas-mãe baseadas no novo chipset AMD 990FX, a Crosshair V Formula e a Sabertooth 990FX. Ambas têm especificações similares, como quatro slots PCI Express x16, mas a Crosshair V Formula vem com um codec de áudio melhor, duas portas USB 3.0 adicionais, um chip de rede melhor e mais opções para overclock. Vamos dar uma olhada neste modelo topo de linha da ASUS.

O chipset AMD 990FX é basicamente um chipset AMD 890FX com outro nome. Não há novos recursos. O chipset AMD 990FX, no entanto, é voltado para a nova plataforma soquete AM3+, enquanto o chipset 890FX é voltado para a plataforma soquete AM3. Desta forma, a AMD oferece uma maneirafácil de identificar a plataforma através do nome do chipset. Placas-mãe soquete AM3+ suportam os futuros processadores AMD baseados na nova arquitetura “Bulldozer”. Portanto, embora o chipset seja o mesmo, placas-mãe 890FX não suportarão esta nova geração de processadores da AMD.

sábado, 18 de junho de 2011

iPad começará a ser produzido no Brasil até setembro', diz Mercadante

Apple adiou início da produção, antes previsto para final de julho. Escassez de mão de obra qualificada foi uma das causas para atraso.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, afirmou que a Foxconn, responsável pela montagem do iPad, da Apple, vai começar a produção do tablet no Brasil no final de agosto ou início de setembro. Segundo ele, a Apple precisou adiar o começo da produção, previsto inicialmente para final de julho.

“A alça de acesso para a empresa, que seria usada para escoar a produção da fábrica em Jundiaí (SP), não ficou pronta a tempo, por conta de atrasos na obra. Além disso, há uma escassez de mão de obra qualificada no país. A empresa já contratou 175 engenheiros, que precisou mandar para a China, onde estão fazendo estágio. A empresa, no entanto, precisa de mais de 200 engenheiros para o setor”, afirmou o ministro.Em nota, a Prefeitura Municipal de Jundiaí informou que as obras viárias necessárias para a implantação de mais uma unidade da Foxconn na cidade estão sendo desenvolvidas em parceria com a Secretaria Estadual de Logística e Transporte, conjuntamente com representantes da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) e Autoban.Ainda segundo a nota, a realização destas obras depende de processos legais, que foram acelerados com o objetivo de atender à empresa dentro dos prazos estipulados. A prefeitura informou que está empenhada na instalação desta unidade no município.

Nas prateleiras
Mercadante disse ainda que os tablets produzidos no Brasil serão até 40% mais baratos do que os equipamentos disponíveis atualmente nas prateleiras. Das 12 empresas interessadas na montagem do dispositivo no país, oito já estão licenciadas e passam por ajustes operacionais para início da produção.

“Vamos ter muito tablet verde amarelo no mercado até o fim do ano. Quem quiser comprar tablet barato vai ter de esperar mais um pouco. São 31% de impostos federais que integram o pacote de incentivos para a fabricação do equipamento no país. Somando com os incentivos municipais, o preço do produto pode chegar a 40% mais barato para os consumidores”, disse Mercadante.Segundo o ministro, as primeiras empresas que começarem a produzir os tablets no país terão de obedecer a regras produtivas e que garantam a inovação tecnológica brasileira. “Algumas empresas já estão prestes a apresentar seus produtos para o mercado, sempre dentro das regras de 20% de conteúdo local no primeiro ano de produção. Em três anos, terão de usar 80% de componentes nacionais.”

Saturação da internet móvelO ministro disse que o incentivo da produção de tablets brasileiros pode saturar a já comprometida estrutura de internet móvel do país, mas garantiu que o problema está na pauta de discussão técnica no ministério. “Esse é um bom problema. O que temos de fazer agora é acelerar o Plano Nacional de Banda Larga. Investimos R$ 100 milhões para melhorar a capacidade nas universidades e centros tecnológicos. O governo está dando importância para isso. Está todo mundo sentindo a necessidade de banda larga. Levamos banda larga para Manaus e a capacidade foi esgotada em pouco tempo. O país que olha para a fibra ótica está vendo o futuro.”

Internacionalização de empresas“Em um mês teremos uma reunião técnica para debater o assunto. A internacionalização de empresas precisa de apoio, de medidas complementares, pois há conflitos na área tributária. Vamos montar um grupo de trabalho com o Itamaraty, com o Ministério da Ciência e Tecnologia, da Fazenda, e do Livre Comércio para equacionar o tema”, disse o ministro.

Fonte: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/06/ipad-comecara-ser-produzido-no-brasil-ate-setembro-diz-mercadante.html

domingo, 12 de junho de 2011

Pronto para o Firefox 6? Veja o que vem por aí

Embora ainda em estágio de desenvolvimento, navegador já dá sinais de um futuro promissor

O Mozilla Firefox 5 mal entrou em estágio beta, mas graças ao novo e mais ágil cronograma de desenvolvimento do projeto a versão seguinte do navegador já está viva e disponível para testes.
Chamado “Firefox Aurora” e parte de um canal de versões pré-beta, o navegador dá tanto aos usuários quanto aos desenvolvedores “mais controle sobre  navegação e ambiente de desenvolvimento, ao mesmo tempo em que melhora o desempenho”, de acordo com um post recente no blog da Mozilla.
Embora a versão final do Firefox 6 só vá estar disponível ao público em geral em agosto, versões preliminares do Aurora para Linux, Mac OS X e Windows já podem ser baixadas na página “Futuro do Firefox” no site do projeto Mozilla.
Versões ainda tão cruas “não são para os fracos”, como diz a Mozilla, mas elas servem como uma boa amostra do que está por vir. Aqui estão alguns recursos interessantes que poderemos encontrar no Firefox 6.

Mais controle sobre permissões
A nova janela de Gerenciamento de Dados é uma interface que permite que os usuários determinem quando acesso cada site terá a dados como cookies, senhas e informações de localização.  Este recurso ainda é experimental, mas os usuários já podem testá-lo digitando about:permissions na barra de endereços do navegador. Mais informações sobre este recurso estão disponíveis em um post escrito por Sid Stamm, que trabalha com privacidade e segurança na Mozilla Foundation

Menor tempo de inicialização
Usuários “pesados” do recurso Panorama do Firefox 4, que permite organizar abas em grupos, agora podem carregar estes grupos apenas quando o Panorama estiver habilitado, graças ao recurso “Panorama on Demand” do Firefox 6.
Com isso o navegador leva menos tempo para iniciar, já que não precisa carregar todos os grupos de uma vez, o que segundo a Mozilla resulta em uma experiência melhor no geral.

Melhor desempenho no Linux
Falando em velocidade, o Firefox 6 será a primeira versão onde os usuários Linux poderão notar o ganho de desempenho resultante do uso de novas ferramentas de desenvolvimento, como o GCC 4.5. Segundo os desenvolvedores, o navegador agora tem desempenho similar à versão Windows no mesmo hardware.

Melhor gerenciamento de plugins
O navegador agora é capaz de verificar rapidamente a compatibilidade de plugins instalados diretamente a partir do Gerenciador de Complementos, graças a um recurso chamado Plug-in Check.

HTML5 e mais
Além das inúmeras melhorias para os usuários, o Firefox 6 terá vários novos recursos para os desenvolvedores, incluindo suporte aprimorado a HTML5, DOM level 3, eventos enviados pelo servidor, tecnologias de rede e outras ferramentas projetadas para facilitar o desenvolvimento de aplicativos web avançados.
Uma nova ferramenta chamada “Scratchpad” permite que os desenvolvedores criem e testem rapidamente trechos de código JavaScript diretamente no navegador, e o Web Console ganhou novos recursos. Uma lista completa dos recursos para desenvolvedores disponíveis no Firefox 6 está em uma página no site da Mozilla.
O Firefox 4 pode ter feito muito sucesso, mas o futuro do Firefox 6 já é muito promissor. Mal posso esperar.

Fonte: http://pcworld.uol.com.br/noticias/2011/06/08/pronto-para-o-firefox-6-veja-o-que-vem-por-ai/