quarta-feira, 28 de abril de 2010

Smartphones: convergência mudará mercado

Novas necessidades de comunicação de usuários corporativos e consumidores finais farão com que surjam outras marcas, aumentando a competição, o que pode mudar o ranking dos cinco principais fabricantes.

O mercado de smartphones está experimentando um momento de outros até então aqueles específicos de usuários corporativos. Pela primeira vez nos últimos 30 anos o ranking dos cinco principais fabricantes de celulares mudará. Essa transformação será provocada pela convergência tecnológica, bem como pelas novas necessidades de comunicação de usuários corporativos e consumidores finais.

A avaliação é do vice-presidente de marketing de produtos da Research In Motion (RIM), Mike McAndrews, que participou do Wireless Enterprise Simposium (WES), realizado pela fabricante canadense em Orlando (EUA).De acordo com McAndrews, essa lista ganhará novos integrantes, como a fabricante do BlackBerry, e perderá outros - cujos nomes o executivo não citou. A aposta do executivo, é claro, é de que a RIM conquistará espaço neste mercado, impulsionada por três fatores.

"Produzimos exclusivamente smartphones. Não fazemos geladeiras, televisores nem computadores. Somos uma das inventoras desse conceito e conseguimos transformar uma tendência em produto", afirma. O executivo acrescenta que a RIM foi capaz de enxergar a tendência e empurrá-la. O vice-presidente de marketing de produtos da fabricante acredita ainda que a fabricante canadense está bem posicionada, porque tem como foco oferecer uma solução de comunicação que inclui aparelho, software e serviço.Por outro lado, o vice-presidente de produtos e plataforma da RIM, Alan Panezic, admite que a própria companhia também vive um momento de transformação. Criada para atuar em um mercado de nicho, com um produto desenvolvido especificamente para atender às necessidades corporativas, o público-alvo da fabricante vem mudando.

Em busca de novos nichos

"Saímos de 5 mil Chief Information Officers (CIO) para a cauda longa [expressão usada para falar sobre mercado de massa], com diferenças grandes entre as várias regiões. Cinco mil CIOs têm o mesmo trabalho, são semelhantes, mas o uso de Blackberry por usuários finais cresceu. Agora, temos que agradar a eles e também aos CIOs", afirma.
Além disso, entre aqueles que já são usuários de smartphones, o desafio é tornar este produto mais maduro. Por isso, a aposta da RIM é oferecer aparelhos com mais recursos, de forma a atender a essa necessidade de usuários mais antigos.

"Eles querem fazer mais, por isso recursos como GPS e Wi-Fi, por exemplo", exemplifica McAndrews. Essas duas tecnologias estão disponíveis nos dois terminais da marca que a RIM lançou ontem, 27/4.

Os modelos, de acordo com McAndrews, são bons exemplos de aparelhos com recursos multimídia avançados, cada vez mais comuns em smartphones também devido às exigências que a convergência vem trazendo para esse mercado.

"As pessoas do mundo corporativo também têm vida foram do escritório. Por outro lado, os consumidores finais querem cada vez mais recursos que antes eram oferecidos apenas para empresas, como aplicações de mensageria, por exemplo".

O vice-presidente de gerenciamento de produtos da RIM, Tom Goguen, acrescenta que, à medida que os celulares migram para um consumo mais intenso de dados - em substituição ao uso de serviços de voz -, os fabricantes serão afetados por este movimento. "Por isso vemos novas pessoas surgindo no mercado de smartphones", afirma.Segundo a consultoria IDC, as vendas de smartphones cresceram 15,1%, em 2009. Foram produzidos 174,2 milhões de unidades, o que representou 15,4% de todos os celulares produzidos no ano passado globalmente. Os cinco líderes do segmento são: Nokia, RIM, Apple, HTC e Samsung, de acordo com o instituto de pesquisas.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Previsão 2020: Banda larga será o acesso a internet mais usado

Pesquisa realizada pelo Profuturo/FIA (Programa de Estudos do Futuro da Fundação Instituto de Administração), sobre o futuro da Banda Larga nos próximos dez anos no país, revela que metade da população de classe C terá acesso à Internet em 2020, sendo que 60% das conexões via banda larga. Levantamento indicou que, em 2008, apenas 7% das conexões desse segmento econômico era de alta velocidade.

Além da classe C, outras esferas também terão grande aumento na utilização dessa tecnologia. Na classe A, em 2008, 64% das conexões de Internet eram por meio de banda larga, porém, em 2020, a projeção é de que esse índice suba para 99%. Na classe B, as conexões saltarão de 26%, em 2008, para 90% em 2020; e as classes D e E saltarão de 1%, em 2008, para 25% em 2020.

Dessa forma, a tecnologia que mais terá crescimento no tipo de conexão em 10 anos, com 33%, será a "Conexão via cabo modem ou wireless (oferecida pelas operadoras de TV por assinatura)", seguida da "Conexão via redes WiMAX", com 31%. Outras tecnologias também figuram entre as que conquistarão uma fatia maior do mercado como o acesso via 3G/4G (celular) e a conexão por rede elétrica, indicadas, respectivamente, por 17% e 11%.

Considerando especificamente o acesso das classes C, D e E à Internet banda larga, o estudo destaca que o principal meio para navegação na web até 2020 será a ADSL (oferecida pelas operadoras de telefonia fixa, por cabos telefônicos), pois será a opção com menores custos e maior viabilidade financeira, dado que outras tecnologias, como a TV a cabo, não conseguem alcançar os locais onde moram as pessoas destas classes sociais.

Para o professor James Wright, coordenador do Profuturo e um dos autores da pesquisa, dois fatores de destaque serão responsáveis pelo crescimento desse tipo de conexão no país. "O menor custo da banda larga, impulsionado pelo Plano Nacional de Banda Larga, em que o preço anunciado pelo governo deve custar em torno de R$ 25 e R$ 35, e o incentivo para a compra de computadores terão caráter determinante para essa expansão", explica.

Fonte: www.oficinadanet.com.br/noticias_web/3047/previsao_2020_banda_larga_sera_o_acesso_a_internet_mais_usado

quinta-feira, 15 de abril de 2010

BB atinge a marca de 10 mil caixas eletrônicos com Linux

O Banco do Brasil chega à marca de 10 mil caixas eletrônicos com sistema operacional Linux. O objetivo é migrar todos os 45 mil caixas para essa plataforma até o final deste ano. O novo sistema operacional permite a modernização do leiaute e a implantação de novas funcionalidades, como a utilização da tela sensível ao toque (touch screen), a função “Ache fácil”, que permite localizar rapidamente uma transação, e a opção de seleção de cédulas, que dá ao cliente a possibilidade de escolher maior ou menor variedade de notas nas transações de saque.

A opção de seleção de cédulas já está em piloto e até o final de abril estará disponível em todos os caixas eletrônicos com Linux. Durante o ano de 2010, outras inovações serão implementadas no canal, buscando torná-lo
cada vez mais moderno, rápido, seguro, fácil e cômodo para o cliente.

Além de todas essas vantagens, o BB estima uma economia superior a R$ 20 milhões, pois o Linux, por não ser uma solução proprietária, não exige gastos com licença.

Fonte: www.redenoticia.com.br/noticia/?p=26073

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Intel e Samsung trabalham na próxima geração do WiMAX

Em parceria com a Samsung e a Motorola, a Intel desenvolve a próxima geração da tecnologia WiMax de banda larga móvel, segundo anúncio feito pela empresa no último domingo (11). A tecnologia promete conexões sem fio a 300 Mbps.

O novo padrão WiMax 2 tem como base o padrão IEEE 802.16m, que traz avanços em relação ao 802.16e (WiMax) e é compatível com os padrões anteriores. Suas especificações deverão ser finalizadas até o fim de 2010.

As redes de WiMax atuais tem velocidade entre 4 Mbps e 6 Mbps para downloads, e entre 1 Mbps e 2 Mbps para uploads. De acordo com a Intel, esse desempenho pode ser melhor de acordo com a distância entre o usuário e a torre.

O WiMax é uma tecnologia wireless que oferece velocidades de transferência de dados maiores que as do Wi-Fi em uma área maior. Os países em desenvolvimento, os EUA e a Europa Ocidental já tem adotado a tecnologia.

As empresas compõem um novo grupo, a WiMax 2 Collaboration Initiative, criado para acelerar o desenvolvimento de padrões para a tecnologia WiMax 2, segundo informaram em comunicado. Outras empresas participam da iniciativa WiMax 2 como a Alvarion, Beceem, GCT Semiconductor, Sequans, XRONet e ZTE, além da organização taiwanesa de pesquisa ITRI.

Fonte: www.adnews.com.br/negocios/101785.html

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Lançado GNOME 2.30

A equipe de desenvolvimento do GNOME acaba de anunciar o lançamento da versão 2.30 de seu tão aclamado ambiente de desktop para Linux e Unix. Além das centenas de bugs corrigidos, essa versão principal da série 2.x do GNOME inclui algumas novas funcionalidades um um grande número de melhorias, todas baseadas nos pedidos de seus usuários. A versão 2.30 do GNOME traz melhorias ao Empathy, seu cliente de mensagens instantâneas e comunicação padrão do desktop, como a habilidade de envio de arquivos ao arrastar e soltar o mesmo na janela de comunicação de um de seus contatos, ou mesmo arrastando o arquivo direto para algum usuário na lista de contatos (no mesmo estilo do Pidgin).

Outra melhoria para esse ambiente de desktop, foi para o Tomboy e sua sincronização de dados. O Nautilus, seu gerenciador de arquivos, também foi agraciado com melhorias na sua interface de usuário, incluindo um novo modosplit view, e o modo spatial foi substituído por um modo browser, por padrão. As ferramentas de sistema do GNOME (GNOME System Tools) agora já trabalham com autenticação via PolicyKit.

De acordo com os desenvolvedores do projeto, já foram adicionados suporte parcial para iPod e iPod Touch. O GNOME Terminal agora já possui suporte para scrollback ilimitado, e seu navegador Web, o Epiphany, já possui várias correções de bugs e regressões encontradas. Agora o Epiphany já pode relembrar senhas de usuários utilizando o gnome-keyring.

Fonte: http://under-linux.org/content/lancado-gnome-2-30-524/