terça-feira, 25 de agosto de 2009

Aneel aprova distribuição de internet e TV por assinatura pela rede de energia

Tomada poderá ligar liquidificador e ser, também, ponto de internet.
Concessionárias terão de criar subsidiárias para entrar no negócio.

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (25) as regras para o uso da tecnologia conhecida como "Power Line Communications" (PLC) no país - sistema que utiliza a rede de energia elétrica como meio de transporte de sinais de internet, vídeo e voz.

Na prática, o sistema permitirá, assim que implementado, o acesso à internet, ou à TV por assinatura, por meio da rede elétrica - já presente na maior parte das residências do Brasil. "Assim, um ponto de energia pode ser uma tomada para ligar o eletrodoméstico e, simultaneamente, um ponto de rede de dados para a provedora de internet ou TV por assinatura", explicou a Aneel, em nota.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Falhas do Wave podem atrasar sua estreia

Um dos engenheiros-chefe do Google, Lars Rasmussen, revelou que o Google Wave ainda falha em 25% de suas operações.

Rasmussen fez a afirmação ao participar de um evento com parceiros nos Estados Unidos e demonstrar características em desenvolvimento no Wave. Durante algumas operações feitas ao vivo no Wave, o sistema falhou e mostrou mensagens de erros.

A análise de Rasmussen é que a ambiciosa integração de e-mail, mensagem instantânea, rede social e plataforma para executar arquivos de mídia – como áudio, vídeo e edição de fotos – está sendo mais difícil do que o imaginado inicialmente.

Atualmente, o Wave possui seis mil usuários no mundo, todos eles desenvolvedores. Ao longo das próximas semanas, o Google deve ceder contas do Wave para outros 14 mil desenvolvedores terceiros.

A ideia é que a comunidade de programadores crie milhares de widgets e miniaplicativos compatíveis com o Wave, de forma que os usuários do Google possam editar sua conta com quase todos os serviços que utiliza na web.

Para Rasmussen, a principal dificuldade encontrada pelos engenheiros do Wave neste momento é encontrar uma forma de deixar o sistema estável e confiável para a troca de informações entre um número maior de usuários.

O Google prevê ceder 100 mil contas para beta-testers a partir de 30 de setembro deste ano.

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/tecnologia-pessoal/falhas-do-wave-podem-atrasar-sua-estreia-31072009-10.shl

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Ubuntu Linux apresenta vulnerabilidades

A Canonical anunciou um update para o kernel para as versões 6.06 LTS, 8.04 LTS, 8.10 e 9.04 de seu sistema operacional Ubuntu.

Ao todo, são quatro patches que devem corrigir falhas de segurança graves nos pacotes do kernel. Segundo a organização, os problemas foram encontradas por diversos hackers que enviaram mensagens avisando sobre as vulnerabilidades.

A recomendação é que os usuários façam o update das distribuições o quanto antes, incluindo as variações Kubuntu, Edubuntu e Xubuntu. Após a instalação, a máquina deverá ser reiniciada para que tudo funcione corretamente.

Entre os problemas, uma falha no driver de rede pode permitir ataques remotos que podem derrubar o sistema ou garantir que o invasor ganhe privilégios de administrador. Apesar de atacarem áreas diferentes, todos os bugs permitem níveis similares de controle do sistema.

Para fazer a correção, os administradores deverão procurar os seguintes pacotes de kernel:

6.06 LTS para linux-image-2.6.15-54.78
8.04 LTS paralinux-image-2.6.24-24.57
8.10 para linux-image-2.6.27-14.37
9.04 para linux-image-2.6.28-14.47

Por questões de compatibilidade, após a instalação dos updates, alguns programas podem não funcionar mais. A empresa ainda avisa que todos os pacotes de terceiros que foram instalados no sistema devem ser recompilados para que tudo volte ao normal.

Saiba o que são máquinas virtuais e como elas ajudam na segurança do PC

Apesar de desconhecidas, é prático criá-las no ambiente doméstico. Alternativa cria ambientes seguros ou de teste de aplicativos; conheça.

Máquinas virtuais ainda são um tanto desconhecidas, mas já é muito prático e rápido criá-las. Com o aumento da memória RAM dos computadores domésticos, máquinas virtuais simples podem ser executadas nos computadores mais baratos de hoje.

Além de permitirem que você execute múltiplos sistemas operacionais, elas podem ser úteis para criar ambientes seguros ou de teste de aplicativos, que o ajudarão a manter seu computador funcionando melhor e livre de programas indesejados.

Esta coluna Segurança para o PC explica o que são e como funcionam as máquinas virtuais, além de como elas estão sendo usadas na análise automatizada de vírus de computador.

O que são máquinas virtuais?

Máquinas virtuais são outros “computadores” que rodam dentro do seu computador. A máquina virtual é criada por um programa que você instala, como qualquer outro. Nesse programa, você cria um disco rígido virtual e poderá executar um sistema a partir deste disco, sem a necessidade de reparticionar o seu disco verdadeiro. A máquina virtual alocará, durante a execução, uma quantidade definida de memória RAM.

Com isso, a máquina virtual permite que você instale um outro sistema operacional. Quer rever (ou ver pela primeira vez) o Windows 3.1? MS-DOS? Quer fazer um 'test drive' em qualquer distribuição Linux sem precisar alterar em nada as partições do seu disco rígido? Tudo isso pode ser facilmente conseguido com as máquinas virtuais, e o sistema aparecerá como uma janela de outro programa qualquer.

Windows 7 crackeado

Ainda não saiu à venda e já é possível instalá-lo com todas suas senhas.

Uma semana depois que a Microsoft entregou aos fabricantes de computadores a versão definitiva de Windows 7 e, por um descuido da Lenovo, alguns usuários já o colocaram em funcionamento com toda a sua capacidade, como se tivessem comprado em uma loja, no próximo dia 22 de outubro que é quando estará à venda.

Não é que o processo seja para todos ospúblicos, mas também não é impossível. O difícil é conseguir a senha e o certificado para autenticar a cópia do sistema operativo, algo que, neste caso, se conseguiu de uma das cópias para fabricantes, as da Lenovo. Como chegou até os "crackers" é o grande mistério do caso.

A versão crackeada não só funciona em computadores da Lenovo como também nos da Dell e HP, mas seguramente que esta lista crescerá rapidamente.

Quem não quiser se atrever com esse truque, sempre pode provar a versão de prova da 'Release Candidate' (RC) - que pode-se baixar até 20 de agosto - ou buscar na 'Release to Manufacturers'(RTM).

Mas já que estamos em agosto, talvez seja melhor esperar...

Fonte: www.guiaglobal.com.br/noticia-windows_7_crackeado-2472