quarta-feira, 29 de julho de 2009

São Paulo transmite filme ultradefinido para o mundo

O cinema em super alta definição, inaugurado no Brasil no Festival Internacional de Linguagem Eletrônica de 2008, aparecerá também no evento deste ano. Pela primeira vez no Hemisfério Sul, um longa captado em 8 milhões de pixels será retransmitido de São Paulo para o exterior. Por fibra ótica, a obra chegará em tempo real nas universidades da Califórnia, nos EUA, e de Keio, no Japão.

Enquanto a Noite Não Chega, o primeiro longa nacional com qualidade quatro vezes superior ao que conhecemos como “alta definição”, foi o escolhido para a exibição. O cineasta, Beto Souza, vê na ultradefinição o “futuro do cinema” como indústria. “Sempre estivemos na frente da TV na qualidade da imagem. Agora que eles têm o HD, o cinema tem de oferecer mais”, disse ele, por telefone.

Pioneira no país, a experiência de transmissão simultânea intercontinental articulou o trabalho de mais de 60 profissionais, segundo a organizadora do projeto, a professora Jane de Almeida, do Mackenzie. “Mesmo nos EUA e Europa, esse tipo de reprodução é raro. Da linha do Equador para baixo, somos os primeiros”, garante. A projeção acontecerá no Teatro do Sesi, na quinta-feira, dia 30, às 19 horas. A entrada é franca.

Fonte: www.estadao.com.br/noticias/tecnologia+link,sao-paulo-transmite-filme-ultradefinido-para-o-mundo,2912,0.shtm

Pesquisa sobre ferramentas para desenvolvimento livre

“Está no ar uma pesquisa para identificar os principais problemas de comunicação que projetos de software livre encontram atualmente.Se você colabora com software livre, por favor, responda a pesquisa disponível em http://www.ime.usp.br/~corbucci/floss-survey.html.

A pesquisa está em inglês para atingir um público maior.Os resultados serão disponibilizados online (em inglês) e na minha dissertação de mestrado (em português) para uso de todos.” [referência: ime.usp.br]

Fonte: http://br-linux.org/2009/pesquisa-sobre-ferramentas-para-desenvolvimento-livre/

Microsoft e Yahoo anunciam parceria em buscas na web

Acordo vai utilizar o Bing para concorrer com o Google. Negociação entre as empresas se arrastava desde 2008.

A Microsoft e o Yahoo anunciaram nesta quarta-feira (29) um acordo para concorrer com o Google em pesquisas na internet, prevendo associar a tecnologia Microsoft à força de venda publicitária do Yahoo. "Como esse acordo, vamos inovar nas buscas, gerar mais valor para os anunciantes e alternativas para o usuário em um mercado dominado por uma única companhia", disse o diretor-executivo da Microsoft, Steve Ballmer, referindo-se à concorrência com o Google.

O acordo prevê que os sites de busca do Yahoo vão utilizar a ferramenta de busca Bing, da Microsoft. O Yahoo, por sua vez, vai administrar as vendas em publicidade on-line. O comunicado oficial afirma que a parceria não vai afetar outros serviços das empresas, como e-mail, comunicadores instantâneos e produtos.

Apostando no BingA parceria que deve ser iniciada em 2010, será válida por 10 anos, com implementação total prevista para um prazo de dois anos após aprovação dos órgãos responsáveis. As empresas também afirmam que o acordo vai limitar ao "mínimo necessário" o compartilhamento de dados de usuários, em nome da privacidade. Com esse acordo, o buscador Bing, da Microsoft, pode ter um crescimento repentino no mercado dominado pelo Google. A gigante da internet é responsável por 65% das buscas realizadas na internet nos Estados Unidos, contra 19,6% do Yahoo e 8,4% da Microsoft, segundo a ComScore. O Yahoo calcula que pode aumentar seu volume de negócio anual em US$ 500 milhões e economizar cerca de US$ 200 milhões em custos.

Em 2008, a Microsoft tentou comprar o Yahoo, mas sua oferta de US$ 47,5 bilhões foi recusada. Na sequência, o líder de buscas na internet, Google, também tentou fechar negócios com o Yahoo, mas o acordo não foi aprovado por órgãos reguladores.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL1246837-6174,00-MICROSOFT+E+YAHOO+ANUNCIAM+PARCERIA+EM+BUSCAS+NA+WEB.html

domingo, 12 de julho de 2009

Globo e Record preparam-se para a briga

A Globo e a Record estão fazendo contas muito importantes neste momento: cada uma dessas emissoras tem um time trabalhando para fechar a proposta que farão para tentar levar os direitos de transmissão das Olimpíadas 2016.

O COI fixou a data de 14 de agosto para que as propostas sejam enviadas. No final do mês, representantes do COI vem ao Brasil exclusivamente para fornecer mais detalhes às duas concorrentes.

Espertamente, o COI antecipou o leilão: como há chances reais de o Rio de Janeiro sediar as Olimpíadas, decidiu que as ofertas terão que ser feitas antes de outubro, quando o mundo saberá qual foi a cidade escolhida. Assim, faturará mais.

Globo e Record prometem uma guerra de foice para levar a medalha de ouro.

Na Globo, a palavra de ordem é: "já perdemos os últimos eventos, esse será nosso custe o que custar". Ou seja, pela primeira vez, a Globo admite internamente pagar um valor acima do que poderia valer as Olimpíadas.

A Record levou Londres 2012 por 60 milhões de dólares (A Globo ofereceu 41 milhões de dólares). Isso significa que o valor agora será muito maior do que esse?

Talvez não: entre aquela disputa e essa há um fator chamado crise econômica.


Talvez sim: a Record já andou vazando que teria separado 100 milhões de dólares para subir mais alto no pódio.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Gmail deixa de ser Beta depois de cinco anos de existência

O Gmail deixou de operar na versão beta, depois de cinco anos a funcionar “experimentalmente”. Os criadores do correio electrónico dizem que “beta” quer dizer “discutível” e já não faz sentido manter a definição quando “produtos como o Gmail mudam indefinidamente”, diz KeithColeman, Director do Gmail.

Desde a sua criação, o Gmail já conta com variadas aplicações entre elas a conversação por vídeo, tecnologia “anti-spam”, aplicações para telemóveis, conversação em grupo. Mas a característica pela qual sempre se distinguiu foi o facto de os usuários só poderem ter uma conta por convite.

Hoje, qualquer pessoa já se pode registar e criar uma conta pessoal sem qualquer convite. Durante muito tempo a justificação para esta “restrição” era o facto do serviço ser ainda uma versão Beta.

O Gmail não foi o único serviço da Google que deixou a designação de Beta, o Google Calendar, o Google Docs e o Google Talk também já não são versões experimentais.

Para os utilizadores mais fãs do serviço, e que sempre se habituaram a ver o pequeno texto que diz “Beta” junto do logótipo do Gmail, a Google criou um pequeno aplicativo que se chama “Back to Beta” e que deixa a sua aparência igual à da versão experimental.

Fonte: www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=377084